Transformação Digital na Saúde: o que é e como promover a Saúde Digital

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Fazer a Transformação Digital na Saúde já é uma preocupação de gestores da área, seja em consultórios, clínicas, medicina diagnóstica ou hospitais.

Mais do que um modismo, a transformação digital é uma obrigação para as instituições de saúde que desejam continuar relevantes nos próximos anos, diminuindo custos, otimizando processos e melhorando a qualidade do serviço prestado.

Por isso, se você quer garantir a sobrevivência da sua instituição de saúde durante a crise e a prosperidade dos seus negócios no novo normal da saúde no Brasil, então a Transformação Digital também é pauta para você.

Neste artigo você descobrirá:

  • O que é Transformação Digital na saúde;
  • O que diz o nível de maturidade digital das intituições de saúde;
  • Quais os benefícios da Transformação Digital na saúde;
  • Quais os desafios da Transformação Digital na saúde no país;
  • Como preparar sua empresa para a mudança;
  • Quais os impactos da Transformação Digital na saúde e
  • Tecnologias habilitadoras da Transformação Digital na saúde.

O que é Transformação Digital na Saúde

A Transformação Digital, no contexto corporativo, é uma estratégia de mudança organizacional orientada pelo ritmo de mudança imposta pela evolução das tecnologias digitais.

Ou seja, com a evolução da tecnologia, mudamos também nossas formas de pensar, agir e interagir com o mundo à nossa volta. Com nossos hábitos de trabalho e consumo, as organizações também são afetadas, sendo exigindo que elas adaptem suas estruturas para se adequarem a estes novos tempos.

A área da saúde também foi afetada. Os pacientes que chegam hoje aos serviços de saúde já buscam por soluções mais ágeis e digitais para seus problemas e querem ter participação ativa em seu tratamento. Muito diferente da época em que os médicos eram os únicos difusores dos conhecimentos em relação à saúde e tomavam as decisões pelos pacientes.

A Transformação Digital na saúde é, portanto, uma jornada de mudança organizacional que abrange desde os modelos de negócios tradicionais em saúde à forma dos profissionais interagirem com seus pacientes. É uma mudança necessária tanto de processos e estratégias, quanto de cultura organizacional e mindset.

Maturidade digital de instituições de saúde

Segundo o Ranking de Maturidade Digital no Brasil, divulgado pela Isobar em 2019, mesmo as grandes organizações de saúde no país ainda tinham baixo nível de maturidade digital.

O estudo, realizado com 18 hospitais, 10 laboratórios e 10 operadoras de saúde, revelou que nenhuma das grandes instituições de saúde pode ser considerada expert em maturidade digital. Apenas 11% delas foi considerada maduras. Mas os resultados mais chocantes ainda estão por vir: 71% das instituições de saúde brasileiras com faturamento superior à R$ 1 bilhão, se enquadraram na modalidade básica e 18% estão na posição de iniciantes.

Dessa forma, a pesquisa revela que as organizações de saúde no país estão em déficit com a inserção de uma cultura digital em seus negócios e que a Transformação Digital é uma necessidade latente para o setor.

Benefícios da Transformação Digital na Saúde

No Brasil, muitos pacientes sofrem com atendimentos precários e a falta de planejamento de hospitais, bem como carência de medicamentos e aparelhos. O papel da transformação digital nesse cenário é trazer as ferramentas necessárias para evoluir a qualidade dos serviços, influenciando em todos os setores hospitalares.

A Transformação Digital na área da saúde pode trazer uma série de benefícios para clínicas, hospitais, pharma e operadoras de saúde. Dentre eles, podemos citar: maior transparência dos processos, redução de custos e melhora no compliance, e a entrega de uma jornada mais sólida para seus pacientes, aumentando seu engajamento e fidelização.

Transparência nos Processos e Compliance

Uma etapa da Transformação Digital envolve a adoção de novas tecnologias digital na automação de processos manuais e burocráticos. Dentre os benefícios dos processos automatizados está a maior facilidade na visualização dos processos, trazendo mais transparência para a administração, diminuindo as chances de erros e favorecendo o compliance.

Redução de Custos

Outro benefício da transformação digital na saúde é a redução de custos, sobretudo custos operacionais e gastos ocasionados por erros como glosas médicas. Com efeito, automatizar processos é uma excelente forma de diminuir essas glosas, organizar a gestão de escalas e agendas médicas e ter melhor controle de estoques e jornadas. As consequências imediatas são mais agilidade, produtividade e menos erros.

Para começar, a dica é realizar um mapeamento de todos os seus processos e iniciar a automação por aqueles que trazem as maiores dores.

Engajamento dos pacientes

Outro foco da transformação digital na saúde é o desenho de uma nova jornada do paciente, com o objetivo de oferecer um serviço mais conveniente, acessível e com menos erros.

A revisão e automação dos processos contribui para que a jornada do paciente seja mais fluída, porque tem como objetivo eliminar pontos de dores e desperdício. Assim, a mudança possibilita que seus pacientes se engajem mais com o serviço prestado pela sua instituição de saúde.

A adoção das tecnologias digitais como wearable devices ou uso de telemedicina também facilita o acesso de pacientes à saúde. Tenha como regra: na era digital, os serviços de saúde devem migrar para onde os seus pacientes estão e não o contrário.

Desafios da Transformação Digital na Saúde

Embora haja muitas vantagens em adotar a saúde digital como regra nas intituições de saúde, ainda há desafios para que a transformação digital seja uma realidade para a maioria das organizações de saúde, como resistência cultural de profissionais de saúde e pacientes, segurança de dados e dificuldade de justificar o investimento.

Resistência à mudança

A resistência à mudança é uma das principais causas que barra a adoção das tecnologias digitais na saúde. Isso porque não só as grandes universidades de medicina do país ainda possuem mentalidade analógica, como também intuições de saúde, públicas ou privadas, ainda se mostram conservadoras e céticas em relação à tecnologia.

Para enfrentar tais resistências, é preciso que haja mobilização para a mudança de mindset dos profissionais e estudantes da área da saúde. Gestores de saúde precisam estar alinhados com as discussões acerca das iniciativas de inovação em saúde e devem agir como embaixadores da mudança em suas organizações.

Segurança de dados

Uma das maiores preocupações em relação à adoção das tecnologias digitais pela área da saúde é o risco de vazamento de dados sensíveis de saúde.

Essa é uma preocupação valida, afinal, garantir a segurança das informações sobre a saúde dos pacientes é um dever ético para os profissionais de saúde. Além disso, quando nas mãos de pessoas mal intencionadas, informações vazadas podem servir como base para fraudes e golpes.

Para minimizar os riscos, o ideal é buscar por soluções tecnológicas desenvolvidas especialmente para a área médica, em vez de optar por alternativas adaptadas, que não garantem a segurança e privacidade das informações trocadas.

Interoperabilidade

É comum que as instituições de saúde, ao iniciarem seus processos de transformação digital, tenham uma série de sistemas legados que precisam ser integrados aos novos sistemas. 

A interoperabilidade é um conceito que expressa a capacidade de sistemas diferentes operarem juntos, trocando informações entre si de forma eficiente. 

Mas é possível ir além. Imagine os benefícios para pacientes e médicos de um sistema de informações que abranja sistemas públicos e privados por todo o país. Seria um passo importante na busca pela oferta de uma saúde verdadeiramente universal, integrada e focada em prevenção. 

Como preparar sua empresa para a Transformação Digital na Saúde

Se você quer iniciar a Transformação Digital na sua instituição de saúde, mas ainda tem dúvidas sobre como fazer para mobilizar sua equipe e conseguir o apoio necessário para a mudança, confira essa dicas!

Cultura e Pessoas

Primeiramente, apague a ideia de que é possível fazer transformação digital rapidamente. A transformação exige mudança de cultura e mindset, o que pode demorar meses para acontecer. O que se pode fazer, nesse caso, é buscar o apoio dos gestores da sua instituição de saúde e de áreas de negócios, como RH, TI e Comunicação.

Mudar a forma como pensamos e as crenças dos profissionais não é uma tarefa simples. Dessa forma, um caminho possível pode ser focar na conscientização acerca dos benefícios e necessidade da mudança. Garanta que todas as dúvidas sejam solucionadas e que os colaboradores, sejam eles profissionais da saúde ou profissionais da área administrativa, não se sintam apreensivos.

Estratégia e Processos

Outro foco importante para dar inicio à transformação digital da sua instituição de saúde deve ser uma revisão minuciosa de processos e pontos de dores. Procure entender onde estão os gargalos e quais as maiores urgências. Não tente resolver todos os problemas de uma vez. Selecionar até 3 pontos de dor e atacá-los primeiro certamente trará melhores resultados.

Uma ótima forma de mapear e reestruturar jornadas é através da metodologia de design thinking. Quando aplicado à saúde, o Design Thinking ajuda a entender as dores e criar soluções com agilidade e eficiência. Quer um exemplo? Então confira aqui como a Kaiser Permanente, um dos grandes players de saúde dos EUA, conseguiu alavancar seus resultados com essa metodologia.

Principais impactos da Transformação Digital na Saúde

A Transformação Digital na saúde promove mudanças que podem ser facilmente percebidas por todas as partes. A saúde digital traz benefícios para profissionais da saúde, pacientes e familiares e as intuições como um todo. Mas como cada um sente os impactos?

Profissionais de saúde

Para médicos, enfermeiros e demais profissionais de saúde, a mudança é facilmente percebida em suas rotinas diárias.

A disponibilização de tecnologia adequada traz mais agilidade e eficiência nos processos, permitindo que os profissionais de saúde possam usar mais tempo para de fato tratar dos pacientes e menos tempo com atividades burocráticas.

Ferramentas de automação, como prontuários, agendas e prescrições eletrônicas também facilitam sua rotina, trazendo maior visibilidade e organização. Isso evita atrasos, faltas, erros e facilita o acesso do paciente às suas informações.

Pacientes e familiares

Para os pacientes e seus familiares, as mudanças são refletidas na melhora da qualidade do serviço prestado.

Um serviço de saúde digital e organizado apresenta menos falhas e erros, tem filas menores e menos atrasos nas consultas. Muitas vezes também trazem uma comunicação mais atual, falando a linguagem do digital.

Ligar para fazer agendamentos? Para que? Faça tudo pelo site ou aplicativo.

Serviços complementares de telemedicina e acompanhamento remoto? Claro que sim.

Diagnósticos digitais mais precisos, com auxílio de inteligência artificial? Por que não?

A imaginação é o limite para as possibilidades de soluções digitais inovadoras para a área da saúde, para tornar o atendimento mais eficiente e conveniente para seus usuários.

Instituições de saúde

Para as instituições de saúde os impactos são bastante concretos. Além do aumento da satisfação e produtividade do corpo médico e da melhora na jornada dos pacientes (e NPS), há redução de custos e consequente aumento de receitas.

Uma pesquisa realizada pela Canada Health Infoway, em 2015, estimou que, se os canadenses pudessem realizar consultas remotas, acessar resultados de exames e solicitar renovações de prescrições online, haveria uma economia de 18.8 milhões de horas ao ano de horas de trabalho dos profissionais de saúde e 47 milhões de visitas presenciais seriam evitadas.

Em relação aos dados concretos, a organização também descobriu que a saúde digital já havia produzido $ 13 bilhões em benefícios. Por exemplo, a telesaúde ajudou a reduzir custos para o sistema de saúde e seus pacientes, chegando a render, em 2010, uma economia de $ 125 milhões. Os registros médicos eletrônicos, ao evitar uma série de erros e problemas, renderam $ 1.3 bilhões em benefícios entre 2006-2012.

Como as novas tecnologias digitais impactam a área da Saúde

Muitas coisas mudaram do começo do ano até agora, e as consequências das medidas adotadas durante as piores fases da crise terão forte impacto no que está por vir.

Novos modelos de negócios, com maior participação e influência digital, aceleração da transformação digital e um novo olhar para a saúde são algumas das mudanças que experimentamos. 

Confira as principais tendências de tecnologia para a área da saúde e seus impactos.

Automação de processos

Softwares de automação de processos, como prontuários eletrônicos, agendas e controles de escalas e plantões e plataformas de gestão financeira são, sem dúvidas, alguns dos que tem impacto e trazem resultados mais rapidamente. Isso porque seu uso tem impacto direto nas rotinas das instituições de saúde. Com efeito, automatizar processos pode ajudar na otimização das tarefas, na redução de custos e em uma gestão mais eficiente.

Inteligência Artificial e Machine Learning

A inteligência artificial é uma tecnologia com muitas aplicações importantes para a área da saúde, como apoio ao diagnóstico de imagens, análise epidemiológica preditiva, inteligência de dados, robôs e aparelhos inteligentes e muito mais.

A tecnologia permite o aprendizado continuo da máquina a partir da coleta de dados, cruzando informações para gerar insights. A partir desse material, as instituições conseguem ter mais assertividade para a tomada de decisões.

A tecnologia de IA mostrou-se especialmente valiosa, por exemplo, no combate ao coronavírus, durante a pandemia.

Wearable Devices

O acompanhamento remoto de pacientes, possibilitado por wearable devices, também é uma tendência. 

 A expectativa é de que se amplie o uso de aparelhos inteligentes que permitam o monitoramento remoto de pacientes em tratamento. Alguns dos maiores beneficiados seriam pacientes com de doenças crônicas, por exemplo. 

Tais equipamentos permitem que os profissionais de saúde possam acompanhar seus pacientes à distância, aliviando a carga de internações e diminuindo a necessidade de deslocamento, o que é particularmente para pacientes idosos e pessoas com mobilidade reduzida.     

Big Data

Big Data e Data Analytics também são tendências em tecnologia que tem grande aplicabilidade na saúde.

O Big Data abre caminho para a melhoria da precisão de ações na área médica a partir da análise preditiva. O cruzamento de informações gera insights que direcionam várias previsões: custos, necessidade de equipamentos e medicamentos, prescrições clínicas, taxa de ocupação dos leitos etc.

Também aumenta a precisão dos diagnósticos clínicos e laboratoriais, pois o cruzamento dos dados permite chegar a conclusões mais eficientes em relação ao estado do paciente, ainda nos estágios iniciais das doenças.

Dados podem auxiliar na tomada de decisões mais assertivas, tanto em relação à gestão, quanto na prática dos profissionais de saúde.

Telemedicina

A telemedicina é uma nova modalidade de prática médica, que possibilita que consultas, que antes eram feitas exclusivamente de forma presencial, sejam feitas à distância. 

Algumas de suas formas de aplicação são: a teleconsulta, o telemonitoramento e a teleinterconsulta. Essas três formas de atendimento passaram a ter uso permitido durante a quarentena do coronavírus e logo se mostraram, apesar das críticas, algumas das melhores alternativas para garantir a continuidade do cuidado médico para muitos pacientes. Para médicos e gestores, a prática tornou-se uma oportunidade de geração de receita, manutenção dos atendimentos e diminuição de gargalos e das filas de espera nos hospitais.

Nesse período, algumas ferramentas chegaram a registrar mais de 5000 atendimentos realizados na plataforma em um único dia. Um número inimaginável para a realidade da maior parte das clínicas do país.

Assim, a telemedicina pode ser uma forma de otimizar o atendimento e levar cuidado para regiões de difícil acesso.

Conclusão

O futuro da saúde será digital, isso é fato. Mas ser digital não significa, de forma alguma, menos humana. Pelo contrário: os avanços tecnológicos caminham cada vez mais na direção de trazer mais conveniência para o trabalho dos profissionais de saúde e para o bem estar e qualidade de atendimento dos pacientes.

Com tantos benefícios, para profissionais da saúde, pacientes e instituições de saúde, resta a dúvida: por que ainda adiamos a Transformação Digital na Saúde?

Quer saber mais sobre o futuro da Saúde Digital e como iniciar a Transformação Digital na sua clínica, consultório, hospital ou laboratório? Então confira este ebook que preparamos para te ajudar a dar os primeiros passos!

Gostou do nosso conteúdo?

Não perca nenhum artigo!

Cadastre seu e-mail e receba todo o nosso conteúdo.

Mais conteúdo para você

ACESSO AO case

Cadastro realizado com sucesso!

Acesse o case no e-mail informado