Melhores práticas para o mapeamento de processos hospitalares

O mapeamento de processos hospitalares é um planejamento que permite estruturar o sistema da instituição, fornecendo qualidade de atendimento aos pacientes. Então, é fundamental que ele seja executado com eficiência.

Porém, esse sistema é complexo, já que são várias etapas que se interagem em cadeia. O cenário se complica ainda mais se não houver uma visão clara de quem é responsável por cada etapa, dificultando o encaixe das ações.

Por isso, a instituição deve saber como adotar boas práticas de mapeamento dos processos hospitalares. Confira algumas dicas a seguir!

Conheça os processos do seu hospital

Para desenvolver o mapeamento de processos hospitalares, o primeiro passo é entender quais são as etapas do atendimento e como é o funcionamento das atividades da instituição. Ter uma visão ampla do negócio é a chave para conectar o trabalho dos setores e profissionais.

A dica aqui é desenhar um mapa com o passo a passo dos processos. Dessa forma, você vai conseguir ter mais clareza sobre o início e o final de cada etapa, entendendo como elas se conectam. Estudar a jornada do paciente é outra ação que auxilia nessa missão.

Alguns itens que entram no cenário são: atendimento, manutenção e limpeza, horário de funcionamento, práticas de precificação dos serviços, demanda, remédios disponíveis, entre outros.

Saiba quem são os responsáveis de cada etapa

Cada etapa tem um responsável por organizar as tarefas e coordenar a equipe correspondente. Esses profissionais precisam garantir o funcionamento correto das atividades do setor, zelando por bons resultados.

Com isso, você precisa saber quem está no comando de cada operação. Verifique com cada gestor quais são as atividades e determine prazos e tempos de execução de cada tarefa.

Essa estratégia faz parte de um bom mapeamento de processos hospitalares porque permite maior controle da gestão do tempo, ferramenta de suma importância para a qualidade de atendimento.

Entenda os riscos que afetam o seu atendimento

Todo processo está passível de erros e falhas, isso é natural. O que é errado é não se precaver dos riscos que podem afetar a qualidade e eficiência do atendimento. Mesmo o faturamento pode enfrentar glosas e problemas de gestão.

O mapeamento de processos hospitalares é totalmente relevante para evitar problemas, aumentando a comunicação entre setores e desenvolvendo uma melhoria nos serviços.

Você deve estudar os pontos fracos das atividades internas, entender as necessidades dos profissionais e estabelecer estratégias para trabalhar em conjunto para uma constante melhoria dos serviços.

Por isso, reveja constantemente as práticas adotadas na instituição, avaliando o que atrapalha ou beneficia o tempo de atendimento.

Verifique as necessidades de infraestrutura

A infraestrutura é parte crucial para que os profissionais desenvolvam um trabalho de qualidade. Ferramentas e equipamentos devem estar adequados para o desenvolvimento das atividades e, por isso, devem ser checados com frequência.

Médicos, equipe administrativa e demais colaboradores precisam de materiais como cadeiras, macas, computadores e eletrônicos, mesas etc. O espaço físico também deve ser estruturado adequadamente para comportar os pacientes.

Tenha em mente que a infraestrutura faz parte dos processos e não deve ser negligenciada. Confira sempre como está a demanda por equipamento e busca sempre aprimorar a disponibilidade de materiais e equipamentos.

Aposte em tecnologia para aprimorar os processos hospitalares

Nossa última dica é a atenção com a tecnologia implantada nos sistemas da instituição. Você deve garantir serviços modernos e atualizados com as novidades do mercado para proporcionar os melhores serviços aos pacientes.

Isso inclui a adoção de equipamentos sofisticados, sistemas digitais, softwares e plataformas de gestão. As tecnologias digitais fornecem praticidade nos processos, facilitando o acesso a prontuários, resultados de exame e agendamento de consultas, por exemplo.

Para o mapeamento de processos hospitalares, inclusive, a adoção de softwares traz grandes benefícios, porque ajudam a acompanhar o que acontece nos ciclos de tarefas e aumentam o relacionamento entre as equipes.

Um sistema de gestão de escala, por exemplo, permite que médicos e gestores possam trabalhar em conjunto para desenvolver as agendas de atendimento. Com isso, os buracos nas agendas diminuem e reduzem prejuízos para a instituição.

Ao adotar as práticas mencionadas acima, a sua instituição vai conseguir atuar de forma integrada a fim de proporcionar os melhores serviços para os pacientes. Comece a adotá-las já e você terá uma visão aprimorada de como realizar o mapeamento dos processos hospitalares!

Aprenda também como controlar e melhorar a contabilidade da sua instituição!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *