Habilidade não é tudo: como encontrar e contratar seus devs (desenvolvedores)

Depois que imergi no universo da tecnologia há alguns anos, tive a oportunidade — ou posso dizer desafio — de fazer o hunting e contratar muitos (dezenas) profissionais de TI. Algumas pessoas me perguntam sobre o perfil ideal de um profissional de TI para as contratações. Eu costumo dizer que não existe uma receita de bolo, até porque cada empresa tem uma linha de raciocínio. 

Mas, particularmente, acredito que o candidato deve ter uma forma de trabalho alinhada com a cultura e as novas metodologias.

Na RedFox usamos a Metodologia Ágil — assunto que já abordei por aqui. As empresas que seguem essa dinâmica já não querem mais aquele colaborador que entende puramente de tecnologia, mas buscam alguém com conhecimento mais amplo e que sabe usar a tecnologia para alcançar resultados.

O novo profissional de TI precisa ter visão de negócio e saber entender os problemas, apoiando-se na tecnologia como ferramenta para isso. Ou seja, ele deve ser uma parte integrada do ecossistema corporativo e conhecer o processo de tomadas de decisão.

Habilidade X Comportamento: não escolha apenas um lado

Se um candidato é extremamente habilidoso nas questões técnicas de TI, você contrataria de imediato? Se a sua resposta for sim, sugiro reavaliar esse conceito. O conhecimento técnico realmente é muito importante, mas não se deve negligenciar o comportamento.

Partindo do princípio que o profissional de TI deve estar alinhado com a cultura da empresa, o comportamento também é muito importante. Se o candidato não estiver em sintonia com o espírito da equipe, é bem provável que o rendimento seja prejudicado. Ou seja, de nada valerá todo o conhecimento que ele tem.

A RedFox segue esse raciocínio, avaliando o profissional sobre as duas vertentes. A primeira é a habilidade, quando vemos todo o aspecto técnico/skills e stacks que utilizamos nos nossos projetos, mas acreditamos que são pontos que podem ser desenvolvidos. O candidato não precisa ser nenhum expert, apenas ter um conhecimento suficiente e vontade de aprender.

Já a segunda é comportamento, algo mais difícil de ajustar. Atitudes e postura são características muito pessoais que dificultam a adaptação. Por isso, o comportamento do profissional de TI que costumamos buscar precisa estar aderente à cultura da RedFox. 

Expectativas de mercado para o profissional de TI

O setor de tecnologia é altamente mutável e esse é um dos grandes desafios para a tecnologia da informação. É por isso que a adaptabilidade e a atitude devem contar muito mais do que um conhecimento aprofundado em alguma linguagem ou framework (ferramenta).

As constantes inovações do mercado fazem com que o profissional precise olhar a tecnologia como um meio e não fim. As expectativas que você deve ter com o seu colaborador são muito mais pautadas no perfil comportamental e corporativo.

O trabalho dele precisa estar alinhado com os objetivos da sua empresa para que os resultados apareçam. Na RedFox, nós sempre procuramos envolver os desenvolvedores no conhecimento da dor do cliente, do negócio e do problema que ele está resolvendo. Além disso, achamos importante também que ele trabalhe em conjunto com outras equipes, como o time de UX.

Uma vez que eles têm a visão do todo, passam a entender como o que desenvolvem contribui para o alcance do resultado. E isso é fundamental para alcançar os melhores resultados.

Nós entendemos que o desenvolvedor possui habilidades que permitam que hoje ele atue como desenvolvedor, mas que amanhã o levem a ser um tech leader ou gestor de projetos. Para isso acreditamos no desenvolvimento de habilidades como gestão, metodologias ágeis, liderança etc.

A palavra de ordem, novamente, deve ser alinhamento. Um trabalho integrado com gestão horizontal, onde todos estejam na mesma página da visão global da corporação.

Então, vamos voltar à questão principal deste artigo. Qual é o perfil do novo profissional de TI? Eu acredito que podemos resumir na figura de alguém que tenha capacidades técnicas e analíticas, métodos ágeis, comportamento alinhado à visão da empresa e que esteja preparado para trabalhar em equipe!

*artigo originalmente escrito para o Linkedin por Isabela Abreu.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *