Confira as 5 principais tendências de tecnologia para saúde em 2020

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Com a chegada de mais um ano, é sempre tempo de conferir as previsões do mercado para os próximos meses. Nós da RedFox estamos de olho nas tendências de tecnologia para saúde e trazemos neste artigo as principais convergências do setor em 2020.

Listas como a da Forbes indicam como foco a prevenção de doenças e a reestruturação de regulamentações. Esse é um contexto que realmente deve acompanhar o cuidado nos próximos anos, tornando-o mais acessível e estratégico.

De acordo com as últimas movimentações e novidades apresentadas no setor, criamos a nossa própria lista com 5 tendências de tecnologia para saúde em 2020. Confira a nossa seleção a seguir!

1. Pacientes como proprietário das informações de saúde e centralização de dados

As relações das instituições com os dados dos pacientes irão mudar de vez nos próximos meses. Muitos players já procuram adaptar suas estruturas para lidar com as mudanças de novas regulamentações, mas é a implementação dessas leis que deve alterar de vez o uso das informações.

No Brasil, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) finalmente vai entrar em vigor —a previsão é para agosto de 2020. As novas regras abrem portas para que as informações na saúde sejam levadas mais a sério e o compartilhamento seja feito apenas com permissão prévia do paciente.

Isso porque, no novo cenário, ele será o detentor da posse dos dados. Assim, poderá determinar quais instituições terão acesso às suas informações pessoais de saúde, escolhendo quando e para que seus dados serão usados.

Essa nova relação será promovida por tecnologias centralizadoras, como os prontuários eletrônicos (PEP). Eles já são usados em várias instituições, mas terão um papel cada vez mais importante na saúde. Além de servir como repositórios de dados, o PEP deve também facilitar a atualização de cadastros nas consultas, por exemplo, acelerando o pré-atendimento.

2. Aprimoramento da inteligência artificial

A inteligência artificial (IA) tem sido uma tecnologia em destaque nos últimos anos. Essa tecnologia ajuda o setor da saúde tanto no diagnóstico de doenças como no desenvolvimento de novos medicamentos, entre outras aplicações.

Em 2020, haverá uma forte tendência para melhorar as práticas de validação, treinamento e implementação de IA, expandindo as aplicações entre casos clínicos e não clínicos.

Clinicamente, ainda há uma série de barreiras para que médicos e pacientes possam se beneficiar dessa tecnologia — acuracidade dos algoritmos, segurança da informação do paciente, entre outras. Porém, um maior entendimento das informações facilitará o uso da IA na saúde.

Além disso, a aplicação da IA no cuidado primário ao paciente — uso de chatbots e outras tecnologias — poderá auxiliar na redução de custos no setor, uma vez que diminui a visita do paciente a hospitais e passa a atuar em fatores como prevenção a doenças.

Essas ferramentas são capazes de responder a dúvidas simples, instruindo os usuários na alimentação e em hábitos saudáveis. Além disso, os smart devices gravam dados da saúde pessoal que são úteis nessa interação.

Já nos casos não clínicos, a tendência é que as instituições usem a IA para redução de fraudes, melhoria da auditoria médica, aumento de produtividade, entre outros.

3. Realidade virtual em aplicações variadas

A realidade virtual será cada vez mais usada na saúde, seja para auxiliar no tratamento de pacientes, na educação e até na preparação de profissionais para cirurgias. Essa tecnologia permite imergir em simulações de experiências a partir de óculos especiais, tendo grande potencial de aplicação.

Vamos falar sobre o caso de pacientes com Alzheimer como exemplo. É possível simular experiências que eles já viveram anteriormente para resgatar lembranças e exercitar a memória. Além disso, as sensações provocadas pelas simulações podem ajudar a amenizar sintomas, funcionando até melhor que remédios em alguns casos.

No campo cirúrgico, o uso da tecnologia deverá auxiliar médicos a avaliarem a eficácia dos procedimentos antes de suas realizações. Os profissionais podem identificar potenciais obstáculos na cirurgia ou os melhores caminhos para que ela seja menos invasiva, por exemplo.

A mesma experiência passará a ser aplicada em cursos e treinamentos, assim como imersões para analisar comportamentos de órgãos, bactérias e outros itens. Dessa forma, o sistema de ensino nos cursos de saúde serão aprimorados.

4. Aumento do uso de wearables

Com o foco da saúde em prevenção e acompanhamento das rotinas do paciente, a inclusão dos wearables no cuidado deve crescer consideravelmente a partir deste ano.

Esses dispositivos são muito úteis para monitorar e gravar as informações dos usuários. Eles geram dados sobre as rotinas e o comportamento dos pacientes, proporcionando insights que ajudam nas tomadas de decisões sobre tratamentos e diagnósticos.

O mercado começa a apresentar produtos com novos features, como relógios que medem níveis de pressão e de glicose. A maior variedade de indicadores impulsionará a valorização dos wearables, fazendo com que o mercado veja uma busca amplificada por esses produtos.

5. Expansão da telemedicina

A telemedicina é um segmento que desperta diversas polêmicas na saúde. Por isso, tanto no Brasil como em outros países, há dificuldades para se chegar a uma regulamentação. Porém, várias nações devem definir suas leis para essa tecnologia em até 3 anos.

A tendência é que a telemedicina se torne cada vez mais aceita, abrindo espaço até para a criação de seguros específicos para essa modalidade. São várias vantagens que melhoram a popularização do atendimento à distância.

A telemedicina permitirá baratear os custos do cuidado, atender a pacientes com mobilidade reduzida e ainda expandir o acesso para regiões com baixa cobertura de saúde.

Essas são só algumas tendências de tecnologia para saúde em 2020. Muitas delas se encaminham para melhorar a experiência dos pacientes e esse é um ponto que interessa muito às instituições do setor. Muitas já investem fortemente na transformação digital, buscando o apoio de startups e empresas de inovação, como a RedFox. Que tal entender mais sobre essas estratégias do mercado?

Gostou do nosso conteúdo?

Não perca nenhum artigo!

Cadastre seu e-mail e receba todo o nosso conteúdo.

Mais conteúdo para você