Como funciona a transformação digital na saúde?

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Promover a transformação digital na saúde é uma urgência para os tempos modernos. Diante de um cenário de muitas incertezas e transformações quase instantâneas, encurtar caminhos, simplificar processos e humanizar relações tornou-se questão de sobrevivência. E na área médica, por exemplo, a transformação digital avança ferozmente.

Em primeiro lugar, é preciso entender que a transformação digital na saúde foi acelerada depois que a área passou por um verdadeiro furacão no último ano. De repente, o mercado de hospitais, clínicas e consultórios se viu obrigado a adotar, em pouquíssimo tempo, práticas que eram até então somente tendências para o futuro.

Se por um lado o revés obrigou, por questões emergenciais, a adoção de conceitos como a telemedicina, por outro os olhos de muitos gestores de saúde foram abertos. A transformação digital parou de ser opção e se tornou questão de sobrevivência, e isso tem levado muitas empresas do segmento de saúde a buscarem preparação para estarem um passo à frente no mercado.

Afinal, o que é a transformação digital na saúde?

Antes de mais nada, é necessário compreender que os consumidores vêm mudando, rápida e drasticamente, seus hábitos. Em outras palavras, transformação digital significa fazer uma conexão entre o que já existe e entre a nova realidade, sempre de olho no amanhã.

Se antecipar para o que o mercado venha a demandar antes mesmo das demandas surgirem é um conceito hábil de transformação digital. No entanto, este olhar analítico por parte dos gestores só surge depois de conquistar uma maturidade digital.

A transformação digital em saúde, embora muitos associem à mera digitalização de processos, vai além. Consiste, sobretudo, em uma mudança estratégica na estrutura de negócio, utilizando a tecnologia a favor da experiência e das necessidades do público, entregando resultados mais ágeis e humanizados.

Na indústria médica, transformar digitalmente requer:

  • Atendimento médico com base em dados;
  • Digitalização de processos de trabalho;
  • Foco na experiência do paciente;
  • Maior rapidez nos processos, reduzindo a burocracia;
  • Ênfase em melhoria e novas tendências.

Um bom primeiro passo para adentrar na transformação digital é compreendê-la minuciosamente. De olho nisso, selecionamos aqui um e-book para que você analise e identifique o passo a passo de como ingressar nesse modelo de negócios tão necessário para a atualidade.

Transformação digital na prática

Em primeiro lugar, deve-se pensar em transformação digital na saúde tal como ela funciona em outros exemplos que temos acesso como consumidores. Por exemplo, a Netflix e a Uber revolucionaram os mercados em que estão inseridas. No entanto, o foco das funções oferecidas pelos dois apps não é a tecnologia: esta é mero instrumento para garantir conforto e experiência do cliente.

No mercado da saúde, a maturidade digital ainda caminha a passos lentos. Até 2019, mesmo as grandes instituições do Brasil possuíam um nível de maturidade abaixo do ideal. Dentre os múltiplos benefícios que a transformação digital na saúde podem trazer, pode-se destacar a melhoria no atendimento.

Se o paciente é o protagonista do mercado, ouvi-lo é o primeiro passo. E a principal queixa de pacientes é, sem dúvidas, quanto ao atendimento. O papel da transformação digital, neste sentido, é utilizar de ferramentas e metodologias para resolver tais deficiências.

Com uma jornada mais sólida para os pacientes, digitalizando prontuários e histórico médico, ganham também os hospitais, clínicas e consultórios. Dentre os benefícios a serem obtidos, destacam-se a redução de custos, a maior transparência de processos e a melhoria no compilance.

Benefícios para a empresa

Transferir para os recursos tecnológicos a automação de processos manuais e burocráticos é uma das etapas fundamentais da transformação digital na saúde. Além da maior facilidade na visualização e transparência destes processos, estão a diminuição na chance de erros, favorecendo o compilance.

Como benefícios a serem destacados com os processos automatizados, pode-se citar a melhor facilidade para sua visualização. Isso, ademais, traz uma maior transparência para a gestão, diminuindo as chances de erros e favorecendo o compliance.

A redução em custos operacionais é outra vertente a ser explorada pela transformação digital na saúde. Glosas médicas são erros comumente evitados por esse processo. Para dar um início seguro, a dica é mapear todos os processos da empresa, identificando ali as maiores dificuldades.

O engajamento de pacientes também age para reduzir dores e pontos de desperdício na jornada do mesmo. O uso de wearable devices ou da telemedicina são acessos facilitadores para esta trajetória.

Resistência às mudanças

Um dos grandes impedimentos para o avanço da transformação digital na saúde é a resistência a mudanças. Universidades de medicina de todo o país, bem como instituições de saúde, se mostram muito resistentes às mudanças da tecnologia.

Superar os processos analógicos requer uma mudança na cultura organizacional da empresa, o que também faz parte do processo de transformação digital. A cultura de inovação, da tentativa e erro (sem medo de errar), é um dos principais caminhos para buscar soluções ágeis.

De modo a superar este entrave, pode-se buscar apoio de gestores de diversas áreas, como a de negócios, o RH, o Ti e a Comunicação. Com as forças unidas e com um direcionamento específico, é possível fazer as mudanças necessárias em todos os setores.

Com os setores unidos em um mesmo objetivo, o primeiro passo para fazer a transformação digital na saúde é promover uma revisão criteriosa dos processos, identificando os pontos de dores. Saber onde estão os problemas e saber selecionar as urgências é fundamental. Um erro frequente é tentar corrigir, de uma vez só, todas as questões complexas.

O mapeamento e a reestruturação das jornadas pode se dar através da metodologia do design thinking. Aplicado na saúde, o método cria soluções com inovação, agilidade e eficiência.

Em síntese, o impacto de uma adoção de transformação digital na saúde pode ser sentido em muitos espaços, por pacientes e por profissionais. Embarcar nesta caminhada futurista é uma necessidade do agora. Os desafios são muitos, mas acredite: depois da tomada de decisão, basta uma gestão qualificada e obstinada rumo a esse objetivo. Os resultados logo poderão ser sentidos. Se você deseja aplicar tal mudança na sua rotina, mas não sabe como começar, selecionamos abaixo um material exclusivo com ênfase em saúde.

Transformação digital na prática

Em primeiro lugar, deve-se pensar em transformação digital na saúde tal como ela funciona em outros exemplos que temos acesso como consumidores. Por exemplo, a Netflix e a Uber revolucionaram os mercados em que estão inseridas. No entanto, o foco das funções oferecidas pelos dois apps não é a tecnologia: esta é mero instrumento para garantir conforto e experiência do cliente.

No mercado da saúde, a maturidade digital ainda caminha a passos lentos. Até 2019, mesmo as grandes instituições do Brasil possuíam um nível de maturidade abaixo do ideal. Dentre os múltiplos benefícios que a transformação digital na saúde podem trazer, pode-se destacar a melhoria no atendimento.

Se o paciente é o protagonista do mercado, ouvi-lo é o primeiro passo. E a principal queixa de pacientes é, sem dúvidas, quanto ao atendimento. O papel da transformação digital, neste sentido, é utilizar de ferramentas e metodologias para resolver tais deficiências.

Com uma jornada mais sólida para os pacientes, digitalizando prontuários e histórico médico, ganham também os hospitais, clínicas e consultórios. Dentre os benefícios a serem obtidos, destacam-se a redução de custos, a maior transparência de processos e a melhoria no compilance.

Benefícios para a empresa

Transferir para os recursos tecnológicos a automação de processos manuais e burocráticos é uma das etapas fundamentais da transformação digital na saúde. Além da maior facilidade na visualização e transparência destes processos, estão a diminuição na chance de erros, favorecendo o compilance.

Como benefícios a serem destacados com os processos automatizados, pode-se citar a melhor facilidade para sua visualização. Isso, ademais, traz uma maior transparência para a gestão, diminuindo as chances de erros e favorecendo o compliance.

A redução em custos operacionais é outra vertente a ser explorada pela transformação digital na saúde. Glosas médicas são erros comumente evitados por esse processo. Para dar um início seguro, a dica é mapear todos os processos da empresa, identificando ali as maiores dificuldades.

O engajamento de pacientes também age para reduzir dores e pontos de desperdício na jornada do mesmo. O uso de wearable devices ou da telemedicina são acessos facilitadores para esta trajetória.

Resistência às mudanças

Um dos grandes impedimentos para o avanço da transformação digital na saúde é a resistência a mudanças. Universidades de medicina de todo o país, bem como instituições de saúde, se mostram muito resistentes às mudanças da tecnologia.

Superar os processos analógicos requer uma mudança na cultura organizacional da empresa, o que também faz parte do processo de transformação digital. A cultura de inovação, da tentativa e erro (sem medo de errar), é um dos principais caminhos para buscar soluções ágeis.

De modo a superar este entrave, pode-se buscar apoio de gestores de diversas áreas, como a de negócios, o RH, o Ti e a Comunicação. Com as forças unidas e com um direcionamento específico, é possível fazer as mudanças necessárias em todos os setores.

Com os setores unidos em um mesmo objetivo, o primeiro passo para fazer a transformação digital na saúde é promover uma revisão criteriosa dos processos, identificando os pontos de dores. Saber onde estão os problemas e saber selecionar as urgências é fundamental. Um erro frequente é tentar corrigir, de uma vez só, todas as questões complexas.

O mapeamento e a reestruturação das jornadas pode se dar através da metodologia do design thinking. Aplicado na saúde, o método cria soluções com inovação, agilidade e eficiência.

Em síntese, o impacto de uma adoção de transformação digital na saúde pode ser sentido em muitos espaços, por pacientes e por profissionais. Embarcar nesta caminhada futurista é uma necessidade do agora. Os desafios são muitos, mas acredite: depois da tomada de decisão, basta uma gestão qualificada e obstinada rumo a esse objetivo. Os resultados logo poderão ser sentidos. Se você deseja aplicar tal mudança na sua rotina, mas não sabe como começar, selecionamos abaixo um material exclusivo com ênfase em saúde.

Gostou do nosso conteúdo?

Não perca nenhum artigo!

Cadastre seu e-mail e receba todo o nosso conteúdo.

Mais conteúdo para você

ACESSO AO case

Cadastro realizado com sucesso!

Acesse o case no e-mail informado