Top 5 tendências de digital para saúde

O ano de 2020 mostrou como os avanços tecnológicos vieram para ressignificar as relações humanas e profissionais em muitos espaços. As modificações no campo digital para saúde não são exatamente novidade, mas ganharam ainda mais enfoque desde o início da pandemia.

No início do ano, nós criamos um artigo sobre o que estava em alta no mercado digital para saúde. Todavia, é importante salientar que as transformações tecnológicas avançam a cada dia. Os processos disruptivos se reinventam a cada dia. Observando este contexto, selecionamos neste texto cinco novas tendências do momento para você ficar de olho.

1. Inteligência artificial: ajuda digital para saúde

A inteligência artificial vem crescendo significativamente, com projeções de aumento considerável pelos próximos anos. Os sistemas de bots conseguem promover uma filtragem em dados, como os de exames médicos, até 150 vezes mais rápido do que um trabalho manual.

Assim sendo, é evidente que um trabalho de sistema de inteligência traz uma redução de custos considerável. Uma transformação digital para saúde a ser citada, por exemplo, é uma tomografia computadorizada. Realizado geralmente em meia hora, o exame pode ser concluído em poucos minutos se o bot confirmar nas primeiras imagens o problema do paciente.

Além da economia gerada, hospitais e consultórios (tanto do SUS quanto do sistema privado) podem tornar os tratamentos médicos ainda mais ágeis.

2. Telemedicina

Outra tendência digital para saúde continua sendo o conceito de telemedicina. Especialmente essencial durante a pandemia de covid-19, a prática digitalizou o contato entre médicos e pacientes. Tal técnica ajudou, inclusive, na contenção do aumento de casos de coronavírus, uma vez que pacientes podem se contaminar quando se deslocam até instituições de saúde para tratar outros problemas.

Até mesmo pacientes infectados com covid puderam ser examinados através da telemedicina (quando com sintomas leves). O atendimento médico a distância provou ser uma ponte inteligível para o futuro. Não são somente as consultas remotas, mas também os acompanhamentos remotos da evolução de tratamentos que puderam ser orientados com a telemedicina.

Pacientes com câncer também se encaixam no público-alvo desta tendência digital para saúde, que cada vez mais engloba outras áreas de especialidade médica.

O novo normal do mundo, ocasionado pela pandemia, trouxe muitos insighits a serem interpretados. Nós temos um e-book sobre a temática, o qual você pode baixar gratuitamente clicando abaixo.

3. Realidade virtual e realidade aumentada

São os mecanismos de realidade virtual e realidade aumentada que colaboram para que estudantes de medicina aprendam procedimentos mais complexos e até perigosos, como as cirurgias cardiovasculares. Em outras palavras, tal tendência digital para saúde é fundamental para que erros médicos aconteçam cada vez menos.

A realidade virtual, tendência crescente, auxilia não só no âmbito educacional, como também no tratamento de pacientes. Com óculos especiais e um gigantesco potencial de aplicabilidade, as operações podem emergir resultados extraordinários em casos complexos, como o mal de Alzheimer. Através de resgate de lembranças e situações já vividas anteriormente pelos pacientes acometidos pela doença, a realidade virtual consegue exercitar a memória e retardar o avanço do mal.

4. BigData

Prontuários eletrônicos são uma demanda em aumento no campo digital para saúde em diversas regiões. A digitalização de informações precisas, além de abrangente, também instrumenta o acesso a tratamentos se tornarem mais rápidos e inteligíveis.

Na Suécia, país que mais investe nesse tipo de ação, pacientes possuem um número particular de identificação, uma espécie de PIN, que serve de base para a documentação de seu histórico de saúde.

O governo brasileiro criou recentemente, influenciado pela pandemia de covid-19, um registro de recolhimento de dados da doença. Receitas de medicação, bem como despachos, também andam sendo feitos de maneira digital.

Assim sendo, a vigilância de estoque é acompanhada em tempo real pelos profissionais da saúde. Os dados coletados podem:

  • Gerar análises preventivas de doenças;
  • Realizar pontuações de risco;
  • Esquematizar pré-diagnósticos;
  • Compreender probabilidades de surgimento de sintomas.

5. Aplicativos

Quando falamos em tendência digital para saúde, não poderíamos deixar de citar os aplicativos, que cada vez mais facilitam a vida das pessoas em todos os aspectos. 

Cada vez mais os serviços que oferecem soluções de fiscalização crescem. Uma boa aplicabilidade de apps pode levar pacientes a fazerem um melhor controle do uso da medicação e da evolução de doenças crônicas, tais como diabetes e hipertensão.

Os wearables, dispositivos vestíveis, também estão em uma constante alta no mercado. Eles monitoram e gravam informações dos pacientes, desde rotinas a comportamentos. São muito úteis para tomadas de decisão em diagnósticos. O mercado também está investindo em relógios capazes de mensurar nível de pressão e de açúcar no sangue.

A transformação digital para saúde já é uma realidade que impacta diariamente as rotinas de hospitais, consultórios e clínicas, projetando um futuro mais inteligível na área médica. Se você quer fazer parte desta trajetória, baixe agora mesmo nosso e-book abaixo e lidere essa transformação disruptiva.

Está gostando deste conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Keep Learning

Posts Relacionados